Seguidores

Alô queridos!!!

Alô queridos!!!

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Percepção da necessidade do cliente de Dependência Química nos Programas de Tratamento

Colleen Deyell Hood, Department of Leisure Studies, University of Illinois at Urbana-Champaign, Illinois 61820.
INTRODUÇÃO
O fornecimento de serviços de lazer para populações carentes através de serviços de recreação terapêutica é baseado na identificação precisa das áreas problemáticas ou clientes necessitam. Gunn e Peterson (1984) indicam que essa identificação de necessidades é uma condição prévia essencial para o desenvolvimento da qualidade do programas e avaliação cliente. Bullock, e Barch McGuire (1984) constataram que a identificação das necessidades que o tratamento pode ser realizado através de cinco formas principais de lazer como prioridades de investigação identificadas pela terapia de recreação profissional. Há indícios que indicam que, em geral, que funcionários e clientes em psiquiatria e dependência química nos programas de tratamento da dependência não chegam a um acordo quanto à identificação das necessidades do tratamento.(Dimsdale, Klerman e Shershaw, de 1979, a Jordânia, Roszell, Calsyn e Chaney, 1985; Mayerand Rosenblatt, 1974)e Rosenblatt, 1974).
O grau em que os clientes e terapeutas concordam sobre tratamento afeta diretamente as necessidades e os resultados do tratamento (Hurst, Weigel, Thatcher e Nyman, 1969; Starfield, Wray, Hess, Gross, Birk e D'Lugoff, 1981).
Jordan ET al. Jordan ET al. (1985) (1985) concluíram que as percepções do cliente sobre o tratamento pessoal e necessidades na fixação da dependência química foram acentuadamente diferentes. Eles indicaram que os pacientes participaram de forma mais ativa e mais indicada, compromisso para com grupos que se classificaram como importante. Eles concluíram que a inclusão do paciente no planejamento do tratamento aumenta a probabilidade de uma participação ativa. Não inclui que os pacientes reduzam o seu compromisso com o programa de tratamento.
Rollnick (1982) indicou que pacientes que discordam com o pessoal de apoio em relação a questões do tratamento têm muitas vezes relações pobres com a equipe de apoio e, como resultado, tem experiência de menos sucesso no tratamento. Dentro da área de dependência química, há duas abordagens gerais para o tratamento.
Primeira abordagem (o modelo unitário) é baseada no conceito de que a toxicodependência é o principal problema e que quaisquer outros problemas funcionais são um resultado da dependência (McLellan, Luborsky, Woody, O'Brien and Kron, 1981). Luborsky, Woody, Kron e O'Brien, 1981).
Abstinência é o principal critério para avaliação da eficácia do tratamento (Hart, 1977).
A segunda abordagem para o tratamento de dependência química é rotulada de abordagem multidimensional (Hart, 1977). Esta abordagem enfatiza o problema psico-social (tais como a saúde física, atividades sociais, estado psicológico, profissional e performance) e os padrões dos problemas expostos pelos indivíduos dependentes químicos. Estas áreas psico-sociais tornam-se um dos principais focos de tratamento. Os defensores desta abordagem consideram que a reabilitação da toxicodependência e do regresso a um elevado nível de funcionamento está dependente de uma variedade de fatores, não apenas abstinência. A abordagem multidimensional fornece o quadro bases para este estudo.
MÉTODOS
O objetivo deste estudo exploratório foi identificar os problemas relacionados com dependência que podem ser abordados através de atividades recreativas, programação terapêutica e que são de acordo com a especialista terapêutica recreação, administradores de programas e clientes. Os dados foram recolhidos por recreação especialistas terapêuticos que trabalham em programas de tratamento da dependência químicaInicialmente, 43 agências (identificados através da American terapêuticas Lazer,
A Sociedade Nacional Terapêutica de Lazer, e da Universidade de Illinois foram contatados para pedir assistência a este projeto. Destas 43, nove agências participaram do processo de recolha de dados. As agências que não participaram ou não completamente recolheram dados citaram vários motivos para a não-participação: a falta de um número suficiente declientes, a falta de clientes que os próprios critérios, a falta de apoio da agência administradores, e falta de tempo e / ou de pessoal para completar os procedimentos de recolha de dados. A amostra total constou de nove relatados dos administradores dos programas, 11 terapeutas especialistas em recreação, 39 clientes de pré-tratamento, e 40 pós-tratamento clientes. Um terapeuta recreação especialista (TRS) de cada uma das nove agências administrou dez questionários a clientes e um programa administrador, bem como completaram um questionário TRS. O grupo de clientes foi dividido em dois grupos: o primeiro grupo era composto por cinco pacientes que completaram o questionário durante a primeira semana de tratamento, sendo o segundo grupo constou de cinco diferentes clientes em sua última semana de tratamento. A seleção dos pacientes baseou-se em um critério pré-determinação critérios (por exemplo, mais de 18 anos, sem prévio tratamento da dependência química, e com vontade de participação) e técnicas de amostragem aleatória.
O instrumento utilizado neste estudo foi desenvolvido a partir de uma extensa revisão da literatura.
Problemas psico-sociais consideradas adequadas para a terapia de intervenção recreação foram geralmente encontrados em três grandes categorias: problemas físicos, emocionais / problemas cognitivos, e problemas familiares. Problemas específicos relacionados com lazer foram agrupados segundo o Lazer Modelo Capacidade de recreação terapêutica (Gunn e Peterson, 1984). Estas áreas incluem: conhecimento das atividades de lazer, autoconsciência relacionadas com o lazer, às atitudes em relação ao lazer, lazer competências, recursos de lazer.
Cada uma das oito áreas identificadas consistiu de problemas específicos que foram traduzidos em 43 declarações de problemas comportamentais. Incluídos em cada questionário foram questões demográficas e informativas específicos para o indivíduo (cliente, ou TRS programa administrador) preenchimento do questionário.
Os Indivíduos preenchiam o questionário respondendo às seguintes instruções: "Por favor, indique na medida em que você acha que cada um dos seguintes é um problema para você [os clientes], em seu [suas] lazer durante a recuperação. "Funcionários e clientes classificaram todos os 43 itens em um ponto quatro do tipo escala de Likert 1 = "muitas vezes um problema", 2 = "às vezes um problema", 3 = "raramente um problema", e 4 = "nunca um problema".
Os dados foram analisados usando SPSS-X subprogramas CONFIABILIDADE e MANOVA. Cronbach's alfa foi calculada em cada uma das oito subescalas para determinar a confiabilidade das escalas.
MANOVA foi utilizada para determinar se havia diferenças entre terapeutas de gestores de programas de recreação, clientes pré-tratamento e clientes pós-tratamento sobre as suas respostas sobre as oito subescalas. Desvios-padrão significantes e freqüências foram utilizados para determinar a importância relativa dos itens rankings por clientes e funcionários.
RESULTADOS
Resultado do alfa de Cronbach indicou que sete dos oito subescalas tinha aceitável alfacoeficientes (0.6980 to 0.9144), enquanto incluindo todos os itens da escala a última escala, Lazer.
Recursos, inicial tiveram um coeficiente alfa de 0,5891, mas o coeficiente alfa subiu para 0,7194 quando um dos itens foi suprimido (falta de conhecimento de oportunidades de lazer disponíveis na comunidade. Este item foi suprimido para as restantes análises. Os resultados MANOVA s indicaram que não houve diferenças estatisticamente significativas entre terapêutico lazer e especialistas programa especializado de administradores (F = 0,4142, p = 0,910), ou entre os clientes de pré-tratamento e pós-tratamento (F = 1,4312, p = 0,195) sobre os escores da sua subescalas pontuações. Assim como assim, cada subescala foi analisada de forma isolada para cada um destes grupos e não houvetambém diferenças não encontraram. Houve, no entanto, diferenças estatisticamente significativas entre todo pessoal (combinação terapêutica recreação e especialistas programa administradores) e todos os clientes(combinação de pré-tratamento e pós-tratamento clientes) (F = 13,6521, p = 0,000).
Uma análise mais aprofundada dos itens em cada subescala indica que a grande maioria (mais de 80%) do pessoal a maioria dos problemas (91% para 95% TRS e para o programa administradores) como sendo às vezes ou muitas vezes um problema. Houve menos acordo sobre as classificações de itens específicos por. clientes. Em cada grupo de clientes, mais de 50% dos clientes percebida 16 dos 43 itens como às vezes ou muitas vezes um problema. As classificações dos restantes dos itens foram divididas de forma bastante equilibrada quanto ao se o item foi percebido como um problema ou não. Dos dezesseis itens cada grupo de clientes percebeu como um problema havia doze itens que eram comuns a ambos os grupos. Estes doze itens também foram identificados como, por vezes ou muitas vezes por um problema pessoal. Os doze que eles concordaram foram: experimentar sentimentos de tédio; sentindo deprimido; dificuldade de adequadamente expressar sentimentos, falta de amigos que não bebem ou usam drogas; dificuldade em lidar com o stress;dificuldade em comunicar com a família, falta de interesse nas oportunidades de lazer da comunidade; feeling in questionamento do seu próprio valor, não sentir confortável em situações sociais e não no sentimento controle, falta de aptidão física; e sentir como se devesse estar fazendo alguma coisa quando envolvidos em atividades recreativas.
DISCUSSÃO
Os resultados deste estudo são limitados em generalização devido à pequena dimensão da amostra. Contudo, eles continuam a contribuir para o corpo de evidências que existem discrepâncias entre clientes e de pessoal administrativo na identificação das necessidades do tratamento. Essa discrepância pode ser explicada em uma ou váriasmaneiras. Em primeiro lugar, os clientes podem ter uma percepção exata do seu tratamento e as necessidades do pessoal administrativo não. Se isto fosse verdade, as avaliações e programas concebidos pelo pessoal administrativo não resolverá asnecessidades de tratamento identificadas pelos clientes. Em segundo lugar, os agentes podem ter uma percepção exata das necessidades do tratamento do cliente e os clientes não. Este segundo conceito pode ter sido aceito no passado, mas a literatura atual indica queclientes em tratamento psiquiátrico e de dependência química têm a capacidade de precisão para identificar as suas próprias necessidades de tratamento (FITZGIBBONS, Cutler e Cohen, 1971; Leonard, Dunn e Jacob, 1983). (Jacob, 1983).
A última explicação é que tanto os clientes como os funcionários podem ter percepções precisas das necessidades de tratamento. Mesmo que os resultados indicam que existem diferenças, ambos os grupos podem estar exatos das necessidades de tratamento que o pessoal pode estar referindo-se ao tratamento necessidades da população (que éagregadas às necessidades com base em características gerais da população), enquanto que os clientes estão incidindo sobre a suas próprias necessidades pessoais tratamento. É claro que existe uma discrepância entre as percepções do tratamento dos funcionários e clientese esta discrepância tem potencialmente um impacto sobre a eficácia doserviços de tratamento, porém é necessário mais investigação nesta área antes de quaisquer conclusões poderem ser feitas.
Os ratings de itens considerados importantes pelos clientes e de pessoal também tem implicações para a demanda de serviços. Atualmente, o serviço de recreação terapêutico é baseado na percepção do cliente necessita, porém, os doze itens em acordo pelos clientes e pessoal poderiam fornecer validação ou direção no programa conduzido pelo processo de desenvolvimento recreação terapêutico especializada. Além disso, o fato de que o pessoal sentiu basicamente a maioria dos itens foram importante validade sobre todos estes itens como questões que devem ser consideradas na definição do tratamento e as intervenções.
REFERÊNCIAS
Bullock, CC; McGuire, FM; e Barch, EM 1984. "Perceived research needs of therapeutic. Therapeutic Recreation Journal. 18(3): 17-24. recreators". Dimsdale, J; Klerman, G.; e Shershaw, JC 1979. "Conflict in treatment goals between Social Psychiatry”. Social Psychiatry. 14: 1-4.
Fitzgibbons, DJ; Cutler, R.; e Cohen, J. 1971. "Patients' self-perceived treatment needs and their relationship to background variables". Journal of Consulting and Clinical Psychology. 37 (2): 253-258.
Hart, L. 1977. "Rehabilitation need patterns of men alcoholics". Journal of Studies on Alcohol. 38 (3): 494-511.
Hurst, JC; Weigel, RG; Thatcher, R.; e Nyman, AJ 1969. "Counselor-client diagnostic”. Journal of Counseling Psychology. 16(5): 421-426. 16 (5): 421-426.
Jordan, K; Roszell, DK; Calsyn, DA; e Chancy, FE 1985. "Perception of treatment needs: differences between patients and staff of a drug abuse treatment program". International Journal of a Addictions. 20(2): 345-351. 20 (2): 345-351.
Leonard, K; Dunn, NJ, e Jacó, T. 1983. "Drinking problems of alcoholics: correspondence between self and spouse reports". Addictive Behaviors. 8: 369-373. Addictive Behaviors. 8: 369-373.
Mayer, JE e Rosenblatt, A. 1974. "Clash in perspective between mental patients and staff.. American Journal of Orthopsvchiatry. 44(3): 432-441. 44.
McLellan, AT; Luborsky, L.; Woody, GE; O'Brien CP; e Kron, R. 1981. "Are the "As'addiction-related' problems of substance abusers really related" The Journal ofNervous and Mental Disorders. 169(4): 232-239.
Peterson, CA and Gunn, SL 1984. Therapeutic Recreation Program Design. Englewood Cliffs, New Jersey: Prentice Hall.
Rollnick, S. 1982. "Staff-patient perceptions of the helpfulness of an alcoholism Treatment program: an exploratory study of treatment relationships”. International Journal of a Addictions. 17(3): 513-521.
Starfield, B.; Wray, C.; Hess, K; Gross, R.; Birk, PS; e D'Lugoff, BB 1981. "The influence of patient-practitioner agreement on outcome of care". American Journal ofPublic Health. Saúde Pública. 71 (2): 127-132.
Tradução: Eliane Jany Barbanti


Um comentário:

Leitura de Mundo disse...

Os assuntos aqui tratados, de forma simples e objetiva, considero tão importantes que, além de seguir, inseri este endereço em minha lista de blogs.

Nupsea